CRÍTICAS ESTREIAS

50 São os Novos 30: Nunca é tarde para ser feliz

Marie-Francine é a cientista abandonada pelo marido (Denis Podalydès) – que prefere uma mulher (bem) mais jovem – e demitida do trabalho na mesma semana. Aos 50 anos, ela acaba de volta à sala e à rotina da casa dos pais, vendendo cigarros eletrônicos na loja deles e alvo do interesse romântico do simpático chef (Patrick Timsit) do restaurante vizinho.

Seria cômico se não fosse trágico, e a diretora, roteirista e protagonista Valérie Lemercier (O Pequeno Nicolau) passeia entre essas duas vertentes com seu roteiro certeiro de personagens adoráveis, ótimas atuações, trilha sonora impecável e uma curiosa combinação entre o cômico e o patético, o irônico e o melancólico.

Sucesso inesperado nas bilheterias francesas.

Publicidade

Deixe o seu Comentário