CRÍTICAS ESTREIAS

Antes Que Eu Me Esqueça: Peripécias na terceira idade

Eis que um diretor estreante, Tiago Arakilian, chega esbanjando frescor ao explorar um tema quase ignorado pelo cinema nacional: a velhice. E surpreende ao manter o alto astral mesmo quando o protagonista apresenta sinais de Alzheimer.

Causa estranhamento José de Abreu envelhecido para viver Polidoro, um juiz aposentado e viúvo de seus 80 anos, mas o incômodo é passageiro. A filha (Letícia Isnard) decide interditá-lo judicialmente depois que Polidoro fica sócio de uma boate de striptease, mas o juiz quer ter a opinião do filho (Danton Mello), que não vê o pai há 20 anos e terá de passar um tempo com o velho.

O reencontro é o cerne dessa história terna e divertida, que não vitimiza o idoso. Guta Stresser rouba a cena como uma prostituta desbocada e, sim, você vai chorar, mas de emoção.

Publicidade

Deixe o seu Comentário