CRÍTICAS ESTREIAS

Caçadores de Emoção: Cadê a história?

Nova versão do sucesso de 1991, Caçadores de Emoção – Além do Limite acerta no visual, mas se esquece de contar uma história

As imagens em 3D de Caçadores de Emoção – Além do Limite (2015) são impressionantes. Para quem curte esportes radicais, é um programão. A superprodução acompanha atletas muito feras que realizam uma proeza chamada 8 de Ozaki, uma série de oito desafios que honram as forças da natureza. Um detalhe: isso não existe, foi inventado pelos roteiristas para justificar sensacionais sequências de surf de ondas gigantes, wing suit, snowboard, escalada livre em rochas e motociclismo de alta velocidade.

O grupo de atletas, contudo, é também responsável por uma onda de crimes mirabolantes, roubos ousados cujo objetivo é mais filantrópico que lucrativo. E aí entra em cena o protagonista Utah (Luke Bracey, de O Melhor de Mim), um ex-atleta radical traumatizado por um acidente no passado, que tenta entrar nos eixos como agente do FBI. Suas habilidades esportivas se mostram úteis quando se candidata para investigar o caso, o que inclui se infiltrar na turma liderada por Bodhi (Édgar Ramírez, de Joy: O Nome do Sucesso).

A ideia é boa e deu muito certo em 1991, na produção homônima dirigida por Kathryn Bigelow (que em 2009 ganharia o Oscar por Guerra ao Terror) e estrelada por uma dupla de galãs: Patrick Swayze, recém-saído de Ghost: Do Outro Lado da Vida (1990), e Keanu Reeves, que em seguida viraria astro com Drácula de Bram Stoker (1992) e Velocidade Máxima (1994). A diferença entre o original e essa refilmagem é que o primeiro era um policial legítimo, focado na investigação dos roubos a banco e no fascínio que o surfista filósofo feito por Swayze exerce no infiltrado Reeves. Sim, porque o bando era de surfistas apenas e, além das ondas gigantes, a única variação esportiva ali era o paraquedismo.

Agora a intenção é outra, e não só pela variedade de modalidades, porque o enredo alterna as cenas esportivas com momentos contemplativos e diálogos sofríveis em que os protagonistas se perdem em papos existencialistas. A investigação criminal praticamente evapora de um roteiro que tenta se levar a sério, mas só faz constranger. E olha que a dupla Bracey e Ramírez tem carisma, mas não dá para salvar um projeto tão equivocado.

Cotação: **

Publicidade

18 Comentário

  • Bem pessoal, esse desafio de Ozaki não existe na realidade, foi criado para o filme, espero que ninguem tente fazer, mas acho que não vai faltar maluco tentando. Quanto ao filme, foi bem legal, cenas de tirar o fôlego, mas faltou um roteiro melhor elaborado. Não faltaram comparações com a versão de 1991, que teve uma história mais consistente. Nossa nova versão, o diretor focou na mais na ação e menos no roteiro. Quanto ao papo existencialista dos protagosnistas, foi o que salvou o filme.

  • No inicio do filme, Utah conta de uma forma resumida o que é/significa os 8 desafios de Ozaki (onde quase já no final a bela jovem conta o que aconteceu realmentrealmente com Ozaki) por isso ele teve a chance de solucionar o caso. Acho que o filme não aprofundou sobre a história dos desafios, pq como eles realmente não existem, o diretor não quis perder tempo com isso. Aposto que o diretor nao queria pessoas assistindo seu filme e seguindo o passo-a-passo de cada desafio é tentando realizar os feitos, com as tragédias alguém ia querer arrumar um culpado e acho que ele não queria levar essa cruz. O filme cumpriu o prometido, onde apresenta ultra cenas de adrenalina e muito esportes radicais. Assisti e irei assistir mas em breve quando estiver querendo ver um bom filme de ação.

  • O filme segue quase na mesma linha de velozes e furiosos que apenas queria mostrar ações e carros, e tinha uma “historinha” até parecida, um policial infiltrado que acaba se envolvendo e deixando o vilão principal escapar! já nesse filme se mostra mais esporte radicais. E aliás, parece até uma versão radical de velozes e furiosos(tirando os carros) . A história pode até não srr lá digna de um óscar, mas se tratando de filme de ação, tá aceitável!

  • ola, mas será que existe alguém que possa fazer esses desafios mostrados no filme, de verdade,quem será o primeiro, esse sim será o verdadeiro Ozaki.

    • 1 – Força Emergente
      2 – Nascimento do Céu
      3 – Despertar da Terra
      4 – Vida da Água
      5 – Vida do Vento
      6 – Vida do Gelo
      7 – Mestre das Seis Vidas
      8 – Ato de Confiança Suprema

        • SPOILER ABAIXO! CUIDADO!
          1 – Força Emergente – Everest
          2 – Nascimento do Céu – México
          3 – Despertar da Terra – México
          4 – Vida da Água – França
          5 – Vida do Vento – Suíça
          6 – Vida do Gelo – Itália
          7 – Mestre das Seis Vidas – Venezuela
          8 – Ato de Confiança Suprema – Venezuela

          • Só retificando amigo A Vida Na Água se passa na Polinésia Francesa no Taiti, a onda se chama Teahupoo significa quebra coco, porque existe uma vida enorme de bancadas de corais, por isso ela atinge esse tamanho todo. Valeu!

Deixe o seu Comentário