CRÍTICAS ESTREIAS

Caçadores de Emoção: Cadê a história?

Nova versão do sucesso de 1991, Caçadores de Emoção – Além do Limite acerta no visual, mas se esquece de contar uma história

As imagens em 3D de Caçadores de Emoção – Além do Limite (2015) são impressionantes. Para quem curte esportes radicais, é um programão. A superprodução acompanha atletas muito feras que realizam uma proeza chamada 8 de Ozaki, uma série de oito desafios que honram as forças da natureza. Um detalhe: isso não existe, foi inventado pelos roteiristas para justificar sensacionais sequências de surf de ondas gigantes, wing suit, snowboard, escalada livre em rochas e motociclismo de alta velocidade.

O grupo de atletas, contudo, é também responsável por uma onda de crimes mirabolantes, roubos ousados cujo objetivo é mais filantrópico que lucrativo. E aí entra em cena o protagonista Utah (Luke Bracey, de O Melhor de Mim), um ex-atleta radical traumatizado por um acidente no passado, que tenta entrar nos eixos como agente do FBI. Suas habilidades esportivas se mostram úteis quando se candidata para investigar o caso, o que inclui se infiltrar na turma liderada por Bodhi (Édgar Ramírez, de Joy: O Nome do Sucesso).

A ideia é boa e deu muito certo em 1991, na produção homônima dirigida por Kathryn Bigelow (que em 2009 ganharia o Oscar por Guerra ao Terror) e estrelada por uma dupla de galãs: Patrick Swayze, recém-saído de Ghost: Do Outro Lado da Vida (1990), e Keanu Reeves, que em seguida viraria astro com Drácula de Bram Stoker (1992) e Velocidade Máxima (1994). A diferença entre o original e essa refilmagem é que o primeiro era um policial legítimo, focado na investigação dos roubos a banco e no fascínio que o surfista filósofo feito por Swayze exerce no infiltrado Reeves. Sim, porque o bando era de surfistas apenas e, além das ondas gigantes, a única variação esportiva ali era o paraquedismo.

Agora a intenção é outra, e não só pela variedade de modalidades, porque o enredo alterna as cenas esportivas com momentos contemplativos e diálogos sofríveis em que os protagonistas se perdem em papos existencialistas. A investigação criminal praticamente evapora de um roteiro que tenta se levar a sério, mas só faz constranger. E olha que a dupla Bracey e Ramírez tem carisma, mas não dá para salvar um projeto tão equivocado.

Cotação: **

Publicidade

20 Comentário

  • Bem pessoal, esse desafio de Ozaki não existe na realidade, foi criado para o filme, espero que ninguem tente fazer, mas acho que não vai faltar maluco tentando. Quanto ao filme, foi bem legal, cenas de tirar o fôlego, mas faltou um roteiro melhor elaborado. Não faltaram comparações com a versão de 1991, que teve uma história mais consistente. Nossa nova versão, o diretor focou na mais na ação e menos no roteiro. Quanto ao papo existencialista dos protagosnistas, foi o que salvou o filme.

  • No inicio do filme, Utah conta de uma forma resumida o que é/significa os 8 desafios de Ozaki (onde quase já no final a bela jovem conta o que aconteceu realmentrealmente com Ozaki) por isso ele teve a chance de solucionar o caso. Acho que o filme não aprofundou sobre a história dos desafios, pq como eles realmente não existem, o diretor não quis perder tempo com isso. Aposto que o diretor nao queria pessoas assistindo seu filme e seguindo o passo-a-passo de cada desafio é tentando realizar os feitos, com as tragédias alguém ia querer arrumar um culpado e acho que ele não queria levar essa cruz. O filme cumpriu o prometido, onde apresenta ultra cenas de adrenalina e muito esportes radicais. Assisti e irei assistir mas em breve quando estiver querendo ver um bom filme de ação.

  • O filme segue quase na mesma linha de velozes e furiosos que apenas queria mostrar ações e carros, e tinha uma “historinha” até parecida, um policial infiltrado que acaba se envolvendo e deixando o vilão principal escapar! já nesse filme se mostra mais esporte radicais. E aliás, parece até uma versão radical de velozes e furiosos(tirando os carros) . A história pode até não srr lá digna de um óscar, mas se tratando de filme de ação, tá aceitável!

  • ola, mas será que existe alguém que possa fazer esses desafios mostrados no filme, de verdade,quem será o primeiro, esse sim será o verdadeiro Ozaki.

    • 1 – Força Emergente
      2 – Nascimento do Céu
      3 – Despertar da Terra
      4 – Vida da Água
      5 – Vida do Vento
      6 – Vida do Gelo
      7 – Mestre das Seis Vidas
      8 – Ato de Confiança Suprema

        • SPOILER ABAIXO! CUIDADO!
          1 – Força Emergente – Everest
          2 – Nascimento do Céu – México
          3 – Despertar da Terra – México
          4 – Vida da Água – França
          5 – Vida do Vento – Suíça
          6 – Vida do Gelo – Itália
          7 – Mestre das Seis Vidas – Venezuela
          8 – Ato de Confiança Suprema – Venezuela

          • Só retificando amigo A Vida Na Água se passa na Polinésia Francesa no Taiti, a onda se chama Teahupoo significa quebra coco, porque existe uma vida enorme de bancadas de corais, por isso ela atinge esse tamanho todo. Valeu!

Deixe uma resposta para morgana Cancelar Resposta