CRÍTICAS ESTREIAS

Cachorros: Sombras da ditadura chilena

A quarentona Mariana é uma chilena de família rica, dona de galeria de arte, casada, em tratamento para engravidar, e profundamente entediada com a vida. Para passar o tempo, ela faz aulas de equitação com Juan, a quem todos chamam de coronel e que está sendo julgado por violação dos direitos humanos cometida  durante a ditadura de Pinochet.

Antonia Zegers e Alfredo Castro contracenaram anteriormente em O Clube, o premiado filme de Pablo Larraín sobre padres e freiras acusados de abusos e outros crimes. O assunto aqui também é espinhoso. Mariana fica intrigada com a história e se aproxima mais de Juan, enquanto investiga os motivos da acusação. Porém não imagina (ou não quer ver) que nos rastros de Juan há também seu pai, empresário bem-sucedido.

A diretora e roteirista Marcela Said conduz a trama em ritmo de suspense, investe na sensualidade de sua protagonista e joga luz nas sombras de um passado ainda muito presente. O título Cachorros nada mais é que uma instigante metáfora dos anos de chumbo no Chile. Mariana é aficionada por cães e, claro, tem o seu. Então repare na fúria e ameaças do vizinho com a “invasão” do indesejado canino em seu terreno.

 

 

Publicidade

Deixe o seu Comentário