CRÍTICAS ESTREIAS

Ciganos da Ciambra: Adulto antes da hora

O diretor americano Jonas Carpignano, radicado na Itália, volta à comunidade no sul do país que adotou mostrada em seu primeiro longa, Mediterrânea. Em Ciganos da Ciambra, transforma a surpresa daquele elenco, Pio Amato, em protagonista. Novamente, Carpignano usa atores não-profissionais para contar histórias naturalistas, à moda do neorrealismo italiano do pós-guerra.

Pio Amato é um adolescente com pressa de crescer. Ele fuma, bebe e coloca panca para entrar no seleto grupo dos homens adultos da família, quase todos envolvidos com o crime, quase todos na cadeia ou com passagem pela prisão. A comunidade é marginalizada, quase tanto quanto os africanos como Ayiva (Koudous Seihon), amigo de Pio.

O protagonista não quer admitir, mas é um menino, como se vê por suas desajeitadas abordagens de garotas, e talvez não seja como seus irmãos. É um belo retrato de um jovem moldado pelas circunstâncias. Em tempo: Martin Scorsese é produtor executivo.

 

Publicidade

Deixe o seu Comentário