CRÍTICAS ESTREIAS

Círculo de Fogo – A Revolta: Monstros à solta

Guillermo del Toro não assina a sequência de Círculo de Fogo, mas o recém-oscarizado diretor de A Forma da Água assina a produção da nova aventura de suas criaturas de ferro. O original de 2013 não era nada mais que uma boa sessão da tarde, mas bateu os US$ 400 milhões na bilheteria e alavancou esse A Revolta, que também é entretenimento pipoca. Tudo certo.

John Boyega (o Finn de Star Wars) faz o filho rebelde do grande herói do original, vivido por Idris Elba. Ele vive à margem da sociedade, cometendo pequenos crimes, e numa dessas quebradas conhece uma garota (Cailee Spaeny) – também invocada – que construiu seu próprio jaeger, os robôs operados por humanos.

Eis que a dupla é presa e vai parar no campo de treinamento dos pilotos oficiais, onde o protagonista encontra um desafeto do passado, interpretado por Scott Eastwood (filho de Clint, mas que não passa de um lindo canastrão como ator).

Há um vilão que se revela no segunto ato, e que vai trazer os então exterminados monstros alienígenas de volta à baila, para mais uma rodada de lutas e destruição.

É simples assim, bobinho mesmo, mas não por isso menos divertido, principalmente para a garotada.

 

 

Publicidade

Deixe o seu Comentário