CRÍTICAS ESTREIAS

Gauguin – Viagem ao Taiti: Jornada existencial

O filme já seria recomendável se fosse apenas para apreciar a vigorosa e pungente performance de Vincent Cassel (O Filme da Minha Vida) no papel do pintor francês Paul Gauguin (1848-1903), durante a jornada existencial e artística dele pelas ainda selvagens Ilhas Marquesas, na Polinésia, a partir de 1891.

Mas o diretor Edouard Deluc traz ainda uma excelência visual exuberante e contemplativa ao longo de um roteiro não menos que exato ao retratar a angústia e os conflitos do pintor, só postumamente reconhecido, entre os compromissos e comprometimentos burgueses e o vigor libertino, natural, vanguardista e, sobretudo, imperativo, da sua arte.

Publicidade

Deixe o seu Comentário