CRÍTICAS ESTREIAS

O Dia do Atentado: Patriotada emocionante

O cineasta Peter Berg e o astro Mark Wahlberg viraram especialistas em retratar histórias reais de cidadãos americanos que passaram por situações limites e cujos feitos se tornaram exemplos de coragem, determinação e, claro, amor aos Estados Unidos. Isso sem falar na exaltação do trabalho em equipe – “um por todos, todos por um” é regra.

A parceria começou com O Grande Herói (2013), sobre uma tropa de elite da marinha que tenta capturar um líder talibã durante a guerra no Afeganistão, e dá quase tudo errado. A seguir veio Horizonte Profundo (2016), com a recriação do desastre provocado por uma explosão de uma plataforma de petróleo no Golfo do México, que poderia ter sido uma tragédia ainda mais devastadora não fosse os esforços dos sobreviventes.

Mark Wahlberg entre Kevin Bacon e John Goodman

E agora chega O Dia do Atentado, que remonta o ataque terrorista ocorrido na Maratona de Boston, em 2013. O roteiro coescrito pelo cineasta forma um mosaico com algumas figuras marcantes do evento. Wahlberg faz o protagonista, um sargento de polícia esquentadinho, que terá atuação fundamental tanto no socorro às vítimas quanto na investigação e perseguição aos autores do crime.

Como há muitos personagens, o diretor dá uma pincelada na vida íntima dos principais ao mostrá-los em situações corriqueiras antes da tragédia. Uma artimanha eficiente para cativar o público e ressaltar o fator humano. Kevin Bacon, J.K. Simons e John Goodman são outros destaques do elenco.

Berg conduz com maestria as cenas de ação e mantém o ritmo acelerado durante a corrida contra o tempo para capturar os criminosos e evitar novos ataques. É claro que ele exagera no tom das cenas dramáticas e nas demonstrações de patriotismo. Sutileza passa longe, mas não dá para negar que O Dia do Atentado é o tipo de filme catártico em que o público torce, sofre, chora e comemora junto.

Cotação: ***

Publicidade

1 Comentário

Deixe o seu Comentário