CRÍTICAS ESTREIAS

O Melhor Professor da Minha Vida: Você já viu antes

Desde que Sidney Poitier ganhou o respeito dos alunos rebeldes de Ao Mestre Com Carinho (1967), o cinema explora continuamente a relação entre mestre e pupilo. E aí podemos lembrar tanto de exemplares hollywoodianos como Mentes Perigosas (1995) e Escritores da Liberdade (2007) quanto a premiada produção francesa Entre os Muros da Escola (2008).

Essa olhada no baú da memória serve para abrir espaço para mais um filme do gênero, O Melhor Professor da Minha Vida, longa de estreia de Olivier Ayache-Vidal. A verdade é que o cineasta não escapa do lugar comum e seu filme só é bom porque Denis Podalydès é um ator experiente, comediante de primeira, que faz muito com pouco.

Seu personagem, o professor François Foucault, leciona no renomado Liceu Henri IV, perto do Panthéon de Paris. Um encontro ao acaso o coloca em contato com uma representante do Ministério da Educação e, quando se dá conta, ele já aceitou a transferência de um ano para uma escola no subúrbio da cidade.

Sim, é a velha história do mestre em meio ao caos. Há também a aproximação maior de Foucault com o mais problemático dos alunos, assim como sua relação com os outros professores e a direção da escola. O desafio em um filme desse tipo é criar empatia com o público, mas aí falta inspiração ao cineasta, que segue apenas a cartilha e entrega um produto genérico, valorizado apenas por seu protagonista.

 

Publicidade

Deixe o seu Comentário