CRÍTICAS ESTREIAS

Rock’n Roll: Vale tudo pela juventude

Guillaume Canet é um astro na França, por filmes como Na Próxima, Acerto o Coração (2010) e O Homem Que Elas Amavam Demais (2014). Mas ele é também roteirista, cineasta e marido da estrela Marion Cotillard, que atuou sob sua batuta no elogiado drama Até a Eternidade (2010). Em Rock’n Roll: Por Trás da Fama, a dupla repete a parceria e vai ao lado oposto com essa comédia pra lá de satírica sobre ser refém da beleza e da juventude no mundo das celebridades.

Todos os atores do elenco interpretam a si mesmos e o resultado é divertidíssimo. Canet surge no set de seu novo filme, em que interpreta o pai de uma jovem atriz sensação. Acontece que o quarentão ator fica inconformado de ser tratado como velho pela moça, e a partir daí só pensa em rejuvenescer e ser mais “rock’n roll”. Sua transformação é a conta gotas, mas chega a um ponto completamente inesperado. Não há meio termo e a graça é exatamente essa.

Em casa, Marion Cottilard acaba de fechar participação em novo filme, para o qual quer usar o sotaque de uma região específica da França. Está hilária em cena e também começa a estranhar – e questionar – as novas manias do marido, que agora não larga mão da jaqueta de couro e de calças justas. Canet chamou uma penca de amigos para marcar presença, entre  eles Gille Lelouche e Yvan Attal – até o americano Ben Foster dá as caras. Verdade que o enredo se alonga um pouco demais, mas tudo bem.

 

Publicidade

Deixe o seu Comentário