CRÍTICAS ESTREIAS

À Sombra de Duas Mulheres: Três é demais

Com apenas 73 minutos de duração, o filme de Philippe Garrel (Amantes Constantes) é um delicado conto romântico. O astro Louis Garrel (O Ciúme), filho do cineasta, participa como o narrador da história de amor entre Pierre (Stanislas Merhar) e Manon (Clotilde Courau).

Eles formam um casal de documentaristas que sobrevive fazendo trabalhos temporários para poder dar suporte aos filmes que desejam realizar. Mas a situação é precária. Pierre ama Manon, mas se enamora de Elizabeth (Lena Paugam) e tenta manter as duas relações.

Da fotografia em preto e branco às atuações, o estilo é naturalista, com o toque nostálgico da Nouvelle Vague. E os personagens revelam mais camadas do que se esperava de uma obra tão sucinta. Em tempo: foi exibido na Quinzena dos Realizadores de Cannes 2015.

 

Publicidade

Deixe o seu Comentário