CRÍTICAS ESTREIAS

Uma Família de Dois: Para se divertir e se emocionar

Quando comecei a assistir a Uma Família de Dois tive um déjà vu. E não foi só impressão. Em 2014, estreou por aqui uma produção mexicana chamada Não Aceitamos Devoluções, coescrita, dirigida e estrelada por Eugenio Derbez.

Presta atenção: foi o filme de maior bilheteria da história do México, com 15,2 milhões de pagantes, e quebrou recordes na passagem por solo norte-americano, onde se tornou o longa-metragem de língua espanhola com o maior número de ingressos vendidos no país – a bilheteria mundial se aproximou dos US$ 100 milhões.

O mais curioso é que o visual é muito brega e o protagonista um tipo, no mínimo, exótico. Mas o misto de drama e comédia é daqueles que tocam o coração. Um mexicano solteirão e sedutor tem seus dias de farra interrompidos quando uma americana aparece com um bebê, que apresenta como fruto do affair, e dá o fora. Em resumo, esse pai solteiro vai revolucionar a vida para criar a garotinha. Anos depois, contudo, a mãe reaparece. E vamos parar por aqui para evitar spoilers.

Não Aceitamos Devoluções e Uma Família de Dois

Então o mote de Uma Família de Dois você já conhece, e o que essa versão francesa faz é dar um banho de loja no original. Sai a cafonice, entra a sofisticação. Troque as praias mexicanas pela costa francesa, o humor pastelão pela comédia refinada e, o principal, o canastrão Derbez pelo premiado Omar Sy como o pai de primeira viagem.

Sy é um grande astro na França e quem viu Intocáveis e Chocolate  sabe que ele é mestre em dosar humor e drama. Aqui não é diferente, com o detalhe de que todo filme que envolve criança já carrega uma emoção a mais. Embora o enredo evite excessos, vai ter gente com lágrimas nos olhos na saída do cinema.

Cotação:

 

Publicidade

1 Comentário

Deixe o seu Comentário