CRÍTICAS ESTREIAS

Venom: diversão sem compromisso

Era de se esperar a avalanche de críticas negativas em cima de Venom. Afinal de contas, o projeto já contava com uma legião de “haters” desde o momento em que foi anunciado.

Sem entrar no mérito de relevância ou não do personagem para ter seu próprio filme, a verdade é que a produção é uma grata surpresa. Claro que tem problemas – como furos de roteiro e ritmo irregular –, mas a interpretação do ator Tom Hardy é tão boa que acaba deixando as falhas em segundo plano.

Ele interpreta o jornalista Eddie Brock, que é infectado por uma criatura do espaço conhecida como Venom. O diretor Ruben Fleischer (Zumbilândia) pode até ter mão pesada para a ação, mas se sai bem no suspense e no humor (dá para perceber sua inspiração no diretor John Carpenter, por exemplo).

Hardy carrega o filme com maestria, divertindo o público com os diálogos com sua “outra personalidade”, e compensa a apatia de seus colegas de elenco, em especial de Riz Ahmed (Rogue One), que vive o magnata Carlton Drake.

Publicidade

Deixe o seu Comentário