ENTREVISTAS ESTREIAS

Amor.com: Finalmente um filme bom sobre youtubers

Não se intimide com o título, porque Amor.com não é mais um filme nacional estrelado por youtubers, como o sofrível Internet – O Filme. É, sim, uma saborosa comédia romântica sobre dois blogueiros de estilos completamente opostos, que se unem por conta daquela faísca mágica do amor à primeira vista.

Katrina (Isis Valverde) é uma patricinha que cobre o mundo da moda e Fernando (Gil Coelho) é um nerd que sabe tudo de games. Eles não falam a mesma “língua” e têm posições diferentes quanto a exposição online, privacidade e até vida profissional. A temática é atual e abordada com leveza por um elenco charmoso e bem dirigido pela estreante Anita Barbosa.

A cineasta conversou com PREVIEW.

De onde veio a ideia de Amor.com?

ANITA BARBOSA – Tem um filme que amo de paixão, Um Lugar Chamado Notting Hill, com Julia Roberts e Hugh Grant, que choro toda vez que assisto. Pensava muito no fato de a protagonista ser uma mulher poderosa e o personagem de Grant ser um cara comum. Foi uma referência na hora de escrever o roteiro, que levou uns seis meses. Os autores, Bruno Garotti e Leandro Matos, iam para minha casa e ficávamos criando. Eu não escrevo, mas colaborava com comentários.

Como a Isis entrou no projeto?

Na verdade, o roteiro existia há bastante tempo, mas estava engavetado. Quando decidimos filmar, pedi um tempo para atualizar e a Isis já entrou nesse processo, então a nova versão foi escrita para ela. Isis é demais, uma menina muito inteligente e opinou bastante. Não sou o tipo de diretora intransigente e acho que o olhar do outro sempre soma. Afinal, o filme é dela também.

Isis Valverde e Anita Barbosa

Katrina é a típica patricinha e Fernando, o nerd. Como construíram os personagens?

Aquela mãozinha que ela coloca na cabeça quando está nervosa é típica, né? A Isis foi para São Paulo e ficou lá fazendo laboratório com blogueiras. E elas são assim, aquelas mulheres perfeitas, cabelo, maquiagem, unha, tudo impecável. O que acho fofo no Fernando é a inocência. Ele fala “Já tenho 3 mil seguidores” com o maior orgulho e Katrina, que tem milhões, diz na maior delicadeza, “Eu só tenho um pouquinho a mais”. Eu tinha de insistir para o Gil se segurar, porque ele é comediante e o filme não é uma comédia. Também não podia parecer sensual e nem um cara com malícia. Ele teve de manter a energia em baixa fazer fazer o Fernando.

O enredo reforça o fascínio que a figura do youtuber exerce hoje.

Olha, fiquei impressionada com as blogueiras e youtubers que conheci. São muito profissionais e encaram a super exposição com naturalidade. Sabem que faz parte. As crianças hoje querem ser youtuber quando crescer, está na moda. Mas quem  vê de fora acha que é dinheiro fácil, quando não é. É uma vida de cão. Tem de postar dois vídeos por semana, haja ideia… E não tem férias.

A Isis chora com facilidade em cena, não?

Sim, e era difícil para mim, porque sofro junto com ela. É desgastante para o ator quando tem de forçar uma emoção de sofrimento . Quando terminava a cena, ela continuava chorando, e eu chorava junto (risos).

Embora tenha experiência como assistente de direção de filmes como Eu Fico Loko e Linda de Morrer, Amor.com é sua estreia no comando. Como foi?

Muito difícil. Você fala “Corta!” e automaticamente cem pessoas olham pra você e dizem “E agora?”. Eu não sei fazer nada muito na aventura. Gosto de dominar a coisa, então já tinha o filme todinho na cabeça. Isso dá segurança, porque você é um guia ali, precisar ajudar o ator, o câmera… Os atores ficam muito na nossa mão, precisam de atenção. Mas foi muito gostoso. Meu astrólogo disse antes de eu filmar para me cercar, porque o segredo do sucesso é você ter uma equipe muito boa. E realmente estava entre amigos. Era Amor.com no set também.

 

Publicidade

1 Comentário

Deixe o seu Comentário