ENTREVISTAS ESTREIAS

Henry Cavill fala sobre sua entrada na franquia Missão: Impossível

Simon Pegg e Rebecca Ferguson, colegas de elenco de Henry Cavill em Efeito Fallout, dizem que o astro de Superman é um cara muito divertido. O impagável vídeo que ele fez da despedida do malfadado bigodinho do personagem August Walker – removido com penoso CGI nas cenas de Liga da Justiça – é prova de incontestável bom humor. O implacável agente da CIA é o calo no pé de Ethan Hunt no sexto episódio, porque seus métodos são na base do vale-tudo e vão na contramão das minuciosas missões de Hunt. “Walker é o martelo, Hunt o bisturi”, nas palavras do próprio Cavill em entrevista à PREVIEW.

Você tinha 13 anos quando estreou o primeiro Missão: Impossível, de Brian De Palma. O que lembra dessa época?

HENRY CAVILL – Não tenho certeza se assisti nos cinemas em Jersey. Eram minhas férias de verão e passava a maior parte do tempo explorando piscinas de pedras e penhascos nessa idade! Mas Missão: Impossível sempre foi definitivamente o meu tipo de filme.

Tanto Tom Cruise quanto Christopher McQuarrie têm falado sobre como Fallout retoma os outros cinco filmes. Assistiu a todos eles novamente antes de filmar?

Além do treinamento físico, há outras formas de se preparar para um filme como esse. Não posso contar muita coisa, mas é muito legal como os eventos desse episódio alcançam os 22 anos da franquia. E sim, eu assisti a todos os filmes da saga novamente. Na verdade, vi todos em um único dia …

August Walker é descrito como alguém pronto para matar todos no caminho até o bandido, enquanto Ethan Hunt tentaria poupar vidas. Como você julga os métodos de Walker? Se fosse um agente, seria um tipo Walker ou Hunt?

Opa, essa é difícil! Não dá para negar que os métodos de Walker são um tanto extremos, mas, na boa, como são efetivos… Se você colocar Walker em uma missão, pode estar certo de que ela será realizada. Não acredito que na vida real o universo dos agentes secretos seja tão rígido e padronizado. De qualquer forma, seria muito legal ter uma daquelas máquinas de fazer máscaras!

Embora o esquema de segurança nas cenas de ação seja enorme, em alguma delas você sentiu ultrapassar seus limites e pensou “isso poderia realmente me matar”?

As acrobacias de helicóptero tinham um potencial genuíno para acidentes que levariam a uma mudança fatal e permanente na vida de alguém. Ainda assim, eram sequências muito divertidas de se fazer. Eu faria tudo de novo em um piscar de olhos.

Além de contracenar com Tom Cruise, você também pôde vê-lo como produtor em ação. O que aprendeu ao observá-lo nos bastidores?

Tom e McQ (o diretor Christopher McQuarrie) não hesitaram em nenhum momento em repensar as cenas junto com o restante da equipe e do elenco. A intenção sempre foi tentar imaginar o que o público veria e sentiria naquelas sequências. Muitas cenas foram adaptadas e melhoradas na hora por causa dessa habilidade de eles se abrirem às ideias dos outros.

 

 

 

Publicidade

Deixe o seu Comentário