ENTREVISTAS ESTREIAS

Trabalho de Nise trouxe “resultados fabulosos”, segundo Glória Pires

Se hoje não há igualdade plena entre os gêneros, nos anos 1940 as coisas eram ainda mais difíceis para as mulheres. Foi nessa época que Nise da Silveira começou seu trabalho inovador no tratamento de doentes mentais. Eis o tema da cinebiografia Nise – O Coração da Loucura, que entra em cartaz em 21 de abril.

MAIS:
Vídeo: Lobotomia é discutida em cena
Vídeo: Filme tem cena de eletrochoque
Vídeo: Nise defende humanização da terapia

Para viver a pioneira da arte-terapia foi escalada Glória Pires (Pequeno Dicionário Amoroso 2). A atriz e o diretor Roberto Berliner (Julio Sumiu) concederam entrevista exclusiva à Revista PREVIEW. Na ocasião, falaram do impacto da terapeuta na sociedade.

Qual a importância que Nise tem ainda hoje?
GLÓRIA – Nise fez um trabalho pequenino, de plantar sementes. Ela tomou pequenos passos, mas com resultados fabulosos. Sua jornada traz o pensamento e experiência que reverteu na sociedade. Tem muita gente como ela, que não recebe o respeito e a divulgação que deveria. O que ela fez deveria ser um protocolo de tratamento, de avaliar a maneira como as pessoas evoluem.
ROBERTO – Nise foi uma mulher que abriu portas no mundo. Ela era a maior louca nesse universo que a gente conta. O maior desafio foi mostrar o quanto ela arriscou e foi malhada por isso, porque o que ela fez foi nadar contra a corrente. É essa mulher sozinha que vai fazer uma revolução.

Qual o maior diferencial de Nise?
ROBERTO – Nise trabalhava em entrar no íntimo do sofrimento dessas pessoas, lutou por dar melhor qualidade de vida, sem necessidade de ser normal. Ela não entendia as pessoas normais, se aborrecia com elas, não se interessava por isso. Ela não procurava pela cura, mas em ver o peso de ser diferente. O artista precisa disso.

Como é viver mulheres reais e marcantes, como em Nise e Flores Raras?
GLÓRIA– Essas mulheres me encontram e sou agradecida por elas, que também usei para conhecer e entender a alma. Elas são uma fonte incrível de inspiração.

NÃO PERCA: Na edição de abril da Revista PREVIEW a cobertura da estreia de Nise, com crítica e mais falas da dupla entrevistada.

Publicidade

Deixe o seu Comentário