ESPECIAIS ESTREIAS

Record lança nota sobre salas vazias para Os Dez Mandamentos… e nós comentamos

O circo midiático em torno dos recordes de venda de ingressos de Os Dez Mandamentos – O Filme (2016) já havia sido tema de texto aqui. Depois da repercussão negativa – e piadas nas redes sociais – por causa de reportagem do UOL sobre salas vazias com ingressos esgotados para as sessões da produção, a Record e a Paris Filme se pronunciaram em nota oficial.

O filme foi lançado hoje (28) em cerca de 1000 salas, com mais de 3 milhões de ingressos adquiridos em pré-venda. A Revista PREVIEW cita a referida nota em sua totalidade abaixo, com comentários sobre o assunto:

“São Paulo, 28 de janeiro de 2016 – A Record e a Paris Filmes fazem questão de esclarecer ao público e à imprensa que a matéria “Os Dez Mandamentos” estreia com lugares vagos em sessões esgotadas, veiculada hoje pelo UOL – Universo Online, leva em consideração uma visão limitada do cenário da estreia.”

A “visão limitada” se chama Jornalismo, algo que a própria Record vem sabotando ao minimizar a redação do R7 até transformá-lo em um mero agregador de parceiros, muitos deles sem verba publicitária. Há um conceito clássico que diz que o cachorro abanar o rabo não é notícia, mas o contrário certamente é. Por isso, procurar salas vazias onde os ingressos foram vendidos é de interesse da sociedade, pois trata-se de um fato que contraria o esperado.

Cena de Os Dez Mandamentos

Cena de Os Dez Mandamentos

“Para corroborar e validar a presença do público nos cinemas, refletindo a massiva e histórica pré-venda, vários gerentes de complexos cinematográficos nos enviaram fotos de suas salas nas sessões até agora realizadas, que como pode ser visto nos anexos, estavam longe de estarem vazias – como por exemplo as salas Playarte Praça da Moça – SP; Cinemark Natal – RN; Cinemark ABC; Playarte Plaza Sul e Praça da Moça; Cinépolis Itaquera; Cinemark Aricanduva e os próprios Cinemarks Boulevard Tatuapé e CMK Tatuapé. Cinemas de Mogi Guaçu e Campinas – SP, Cinemark Aracaju e Cine Sercla – Aracaju – SE também enviaram suas fotos.”

Em nenhum momento foi dito que todas as salas (ou sequer a maioria do parque exibidor) estavam esvaziadas. Portanto, as sessões realmente lotadas não invalidam a matéria.

“A foto da sala tirada hoje pela reportagem supostamente em uma sessão cujos ingressos foram adquiridos totalmente, mas sem a capacidade total do público, é fruto das ações de filantropia que foram promovidas por parceiros do filme e que, segundo a própria reportagem, levaram pessoas que pouco haviam ido na vida ao cinema a visitarem um complexo de salas, buscando o conteúdo. Para nós isso é positivo, pois as ações estão claramente formando um novo público para o mercado cinematográfico, o que é extremamente importante para a indústria do entretenimento.”

Quais parceiros, cara-pálida? Em Jornalismo, sempre precisamos responder quem, quando, onde, como e por quê. Faltaram dados aí. Ademais, é muito interessante que apenas agora a desculpa da filantropia entra na berlinda. Até o momento, todos os efusivos anúncios sobre os recordes de vendas exaltam a marca como uma conquista comercial.

Há um sem número de projetos de formação de plateia pelo Brasil em andamento – e a maioria deles não cobra ingresso. Até onde sei, nenhuma dessas iniciativas tem o apoio da Record ou da Igreja Universal. Se pensarmos um pouco mais, a Record faz o contrário e colabora com o conteúdo raso, uma vez que em sua grade televisiva, o programa que mais se aproxima de jornalismo cultural tem apenas uma especialista em celebridades, não em cultura. Então, há formas mais eficientes de atingir esse nobre objetivo, né não?

“Certos de bom trabalho refletido nos recordes quebrados pelo filme até agora, subscrevemo-nos,
As diretorias.”

Não estamos tão certos assim…

Publicidade

12 Comentário

  • aonde eu moro, o Pastor está ” doando” ingressos desesperadamente p quem quiser assistir ao filme….vc dah o num do RG e se compromete a comparecer…
    querer bater record assim eh mole

  • Gente estou perplexa…Fui comprar meus ingressos pelo site ingresso.com e a sessão estava praticamente esgotada! Chegamos ao cinema e confirmamos os boatos em torno do filme, sala de cinema praticamente vazia!
    Que mundo é esse Deus do céu???

  • Em minha cidade, Palmas – TO, no maior shopping da cidade, fui abordado por um rapaz com a história q participava de uma caravana e q haviam sobrado alguns ingressos, eles estavam oferecendo p/todo mundo nos corredores, péssimo local para filantropia, deviam ir distribuir em comunidades carentes e não num shopping bem distante. As TVs já são usadas como lavanderia d pastores faz tempo, uma vez q $ ganho d dízimo não pode ser usado p/enriquecimento, mas o “lucro” da tv ou rádio do pastor paga a preços hiper inflacionados pela igreja pode. Ae fica a dúvida…

    • Sábado agora dia 29/02/2016 no Shopping Eldorado, em São Paulo, os ingressos para os “Dez Mandamentos” estavam todos vendidos, dei uma entradinha na sala só de curiosidade para ver se o filme que já tinha começado estava com uma boa platéia, a sala estava às moscas, se tinha 10 era muito…nunca tinha visto algo assim.

  • Essa igreja/rede de TV nem sabe disfarçar sua sanha comercial, ao manipular descaradamente os fiéis para que assistam ao seu abacaxi proselitista. Soa muito como lavagem de dinheiro essa compra de sessões inteiras, ainda mais quando se constata que elas não estão lotando. Penso que, apesar de tudo, não chegará nem perto do público de Tropa de Elite 2 – esse, sim, cinema de verdade. TDE não precisou de apelação pra conquistar seu público, ninguém foi ao cinema porque “é de Deus, Jesus, etc” ou porque “pagaram” pra ele ir. Dez Mandamentos, só o com Charlton Heston. Isso daí da Universal não passa de uma piada de mau gosto.

    • E o pode de Deus na vida do povo porque la na universal só prega a verdade e lá que ensina as pessoas a busca o verdadeiro Deus todo poderoso.aqui em Aracaju sergipe os cinemas estava lotado .agora tem pessoas que nao conseguiram compra seu ingresso pra ir ver a maravilha de Deus fica ai falando o que nao sabe.o nosso deus e doni do ouro e da prata .e fica com Deus. Quanto mas vcs fala da universal mas ela cresce e nos juntos tambem .obrigado por fala mal.porquê agindo Deus quem impedirá.ninguei. .

      • Texto sem sentido e repleto de erros, argumentação pobre e visão totalmente obtusa da realidade. Sugiro à dona Aparecida tomar aulas de português e assistir a mais noticiários, documentários, enfim, algo que coloque um pouco de cultura nesta cabeça confusa e ignara, pois não há Deus ou reza que consiga salvar uma alma tão conturbada a ponto de vir a um veículo público (dirigido a cinéfilos como eu e não a fanáticos religiosos acéfalos) expor sua visão equivocada de fatos dos quais sua mente limitada e nublada pelo fanatismo não tem a mínima condição de compreender.

        • Você tentou falar bonito, mas ainda sim também cometeu erros de português. E outra: Seu comentário em nenhum momento cita o assunto do texto, que é a discrepância entre o que era alardeado pelo jornalismo da Record e a constatação de salas de cinema longe da lotação esperada pelo alarde!

          Te desejo tudo de bom, um abraço e menos fúria na sua vida!

          • É mesmo gênio? Primeiramente, revise seu texto antes de falar em erros de gramática. Aliás, não passou pela sua cabeça que eu estava comentando a resposta de dona Aparecida e não aludindo ao texto? Antes de tentar ensinar interpretação aos outros veja bem do que se trata antes de dar palpite furado, pois como já disse antes, aqui é um espaço para se falar de cinema e não dar voz a manifestações de fanáticos religiosos. Caso tenha se sentido ofendido pela minha posição, problema seu, não vai ser a opinião de parvos que vai me tirar o sono, e não se trata de fúria meu caro, apenas me incomoda a falta de noção de certos comentários, mas se preferem viver na ignorância…

  • Matéria sensacional! Preview mandando cada vez melhor em suas matérias, levando a sério o jornalismo e dar a cara à tapa fazendo uma matéria como esta. Admiro cada vez mais essa revista, que persiste em se manter no mercado de impressos mesmo com toda a dificuldade que o meio passa no momento e inova ao publicar um conteúdo tão relevante, agora também no meio digital. Este site está show e a revista mais ainda.

    Quanto ao conteúdo da matéria, é um absurdo ver uma emissora corrupta como essa, abusa do cinema em suas “jogadinhas de marketing” usando dinheiro sujo para promover porcarias cinematográficas através do cinema. É frustrante ver o cinema ser usado dessa forma.

  • Parabens pela matéria,é complicado que uma Igreja seja usada tão descaradamente para fins comerciais

    parabens pela revista,espero q lancem uma edição especial com Poster de Batman V Superman

Deixe o seu Comentário