ESPECIAIS MOSTRAS NOTÍCIAS

CCBB apresenta a mostra Acorde! O Cinema de Spike Lee

O Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo (7 de novembro a 3 de dezembro), Rio de Janeiro (7 e 26 de novembro) e Brasília (20 de novembro a 9 de dezembro) apresentam ACORDE! O CINEMA DE SPIKE LEE.  A mostra exibirá um recorte de 22 filmes e quatro videoclipes que representam diferentes momentos da carreira do cineasta.

A expressão ‘Acorde!’, está presente em quase todos os filmes de Spike Lee. É um chamado para a ação, para a ruptura de um comportamento padronizado, geralmente declamado por um personagem secundário para o personagem central, frequentemente em uma visão subjetiva: o ator olha para a câmera e fala ‘Acorde!’ para a plateia do cinema. “Spike Lee quer que seu cinema faça o público acordar para a realidade que o cerca”,  comenta o curador Jaiê Saavedra.

O evento acontece no mês em que se comemora o Dia da Consciência Negra (20 de novembro) e oferece ao público um panorama da obra do mais atuante cineasta afro-americano, que conquistou este ano o Grande Prêmio do Júri e Menção Especial do Prêmio Júri Ecumênico no Festival de Cannes, e o Prêmio do Público no Festival de Locarno, com Infiltrado na Klan (estreia nacional prevista para 22 de novembro).

Michael Jackson’s Journey From Motown to Off the Wall

ACORDE! O CINEMA DE SPIKE LEE traz alguns dos títulos mais recentes do cineasta, porém pouco vistos nas salas de cinema brasileiras, e alguns de seus melhores trabalhos para a televisão, como os documentários Kobe Doin’ Work (2009), filmado com 30 câmeras, e Michael Jackson’s Journey from Motown to Off the Wall (2016). Michael Jackson também é a estrela de um dos videoclipes da mostra – They Don’t Care About Us, gravado no Rio de Janeiro e em Salvador.

Quatro filmes clássicos serão exibidos em 35mm: Mais e Melhores Blues (1990), Febre da Selva (1991), Malcolm X (1992) e A Última Noite (2002), que terão sessões inclusivas (com audiodescrição e close caption).

Spike Lee também é, antes de tudo, um cineasta com incrível domínio técnico, grande sensibilidade na direção de atores e enorme respeito à palavra. Seus primeiros filmes já se tornaram clássicos do cinema que merecem ser (re)assistidos e novamente discutidos. Um raro exemplo de um diretor que conservou enorme vigor e ousadia através das décadas, transcendendo o título de representante de um cinema negro e se tornando um dos grandes de nossa época”, completa Jaiê Saavedra.

Malcolm X

ACORDE! O CINEMA DE SPIKE LEE contará com debate com o curador, a pesquisadora Kênia Freitas e o crítico Bruno Galindo, que ainda vai ministrar uma aula sobre o cinema de Spike Lee, ambos gratuitos, com distribuição de senhas a partir de uma hora antes do início do evento.

Os visitantes que assistirem a cinco sessões de filmes ganharão um catálogo da mostra.

A programação completa estará disponível no site bb.com.br/cultura.

Publicidade

Deixe o seu Comentário