MOSTRAS NOTÍCIAS

Filmografia de Babenco será exibida na Cinemateca Brasileira

Divulgação

Em homenagem ao cineasta Hector Babenco, que morreu no último dia 13, a Cinemateca Brasileira exibirá a filmografia do argentino naturalizado brasileiro.

Aos 70 anos, Babenco lançou em março desse ano Meu Amigo Hindu (2015), filme quase autobiográfico que retrata a vida de um cineasta que luta contra um câncer. Mas a vida de Hector vai além disso.

Com o longa O Beijo da Mulher Aranha (1985), ele recebeu quatro indicações ao Oscar, nas categorias de filme, direção, roteiro adaptado e ator para William Hurt, que venceu a disputa e ainda levou a Palma de Ouro de melhor ator no Festival de Cannes.

Ironweed (1987), Carandiru (2003) e Coração Iluminado (1998) são outros filmes que recheiam a filmografia do cineasta com indicações a prêmios e que também estarão presentes na mostra.

HOMENAGEM A HECTOR BABENCO
Quando: 21 a 24 de julho
Onde: Cinemateca Brasileira (Lgo. Sen. Raul Cardoso, 207 – Vila Mariana – São Paulo)
Quanto: Entrada franca
Outras informações: site oficial

PROGRAMAÇÃO

QUINTA 21/07
SALA BNDES
19h00 O REI DA NOITE
21h00 LÚCIO FLÁVIO, O PASSAGEIRO DA AGONIA

SEXTA 22/07
SALA BNDES
19h00 PIXOTE, A LEI DO MAIS FRACO
21h30 O BEIJO DA MULHER ARANHA

SÁBADO 23/07
SALA BNDES
17h30 IRONWEED
20h30 BRINCANDO NOS CAMPOS DO SENHOR

DOMINGO 24/07
SALA BNDES
16h00 CORAÇÃO ILUMINADO
18h30 CARANDIRU
21h00 O PASSADO

SINOPSES

O BEIJO DA MULHER ARANHA
Brasil,1985, 35mm, cor, 120 min, 16 anos.
Com Raul Julia, William Hurt, Sônia Braga, José Lewgoy, Milton Gonçalves.
No presídio de um país latino-americano não especificado dois prisioneiros, um homossexual e um militante político, ensaiam uma difícil convivência. Baseado na novela homônima de Manuel Puig. Pelo filme, William Hurt recebeu o Oscar de Melhor ator e o prêmio na mesma categoria no Festival de Cannes de 1985.

BRINCANDO NOS CAMPOS DO SENHOR
Brasil, EUA, 1991, 35mm, cor, 186min, 16 anos.
Com Aidan Quinn, Tom Berenger, Daryl Hannah, John Lithgow.
Um casal de evangélicos embrenha-se na selva amazônica brasileira para catequizar índios ainda arredios à noção de Deus. As intenções religiosas e a harmonia entre brancos e índios no local tornam-se instáveis com a presença de um mercenário descendente de índios americanos. Roteiro de Babenco e Jean-Claude Carrière, baseado no romance homônimo de Peter Matthiessen.

CARANDIRU
Brasil, 2003, 35mm, cor, 145 min, 16 anos.
Com Luiz Carlos Vasconcelos, Milton Gonçalves, Maria Luísa Mendonça, Rodrigo Santoro, Lázaro Ramos.
Um médico se oferece para realizar um trabalho de prevenção a AIDS no maior presídio da América Latina, o Carandiru. Lá ele convive com a realidade dos cárceres, que inclui violência, superlotação das celas e instalações precárias. Baseado no livro de Drauzio Varela. Seleção oficial no Festival de Cannes.

CORAÇÃO ILUMINADO
Brasil, Argentina e França, 1998, 35mm, cor, 130min, 18 anos.
Com Miguel Angel Solá, Maria Luisa Mendonça, Walter Quiroz, Xuxa Lopes.
Um amor interrompido pela suposta morte da amante, vem à tona novamente quando Juan retorna ao lugar onde a paixão por Ana se iniciara. Lá chegando descobre que Ana está viva e casada, vai ao encontro e no caminho conhece Lilith, aumentando assim ainda mais a lembrança da paixão antiga. Um dos grandes filmes de Babenco. Seleção oficial no Festival de Cannes.

IRONWEED
EUA, 1987, 35mm, cor, 137min, 14 anos.
Com Jack Nicholson, Meryl Streep, Carroll Baker, Tom Waits.
Um homem destruído pela morte do filho e sua companheira, uma cantora e pianista, vagam sem esperança, sem lar e sem dinheiro. Alcóolatras, vão para a cidade onde seu filho morreu vinte e dois anos antes, e convivem com outros andarilhos nos anos da Depressão. Jack Nicholson e Meryl Streep, ambos indicados ao Oscar pelos papéis, também estiveram juntos no filme de Mike Nichols, A difícil arte de amar (1986).

LÚCIO FLÁVIO, O PASSAGEIRO DA AGONIA
Brasil, 1976, 35mm, cor, 125 min, 18 anos.
Com Reginaldo Farias, Ana Maria Magalhães, Milton Gonçalves, Paulo Cesar Pereio, Ivan Cândido, Grande Othelo.
Os últimos momentos da vida de Lucio Flavio, um bandido famoso que empreende fugas e ações espetaculares. Capaz de fugir de qualquer prisão, ele acaba descobrindo que é vítima de poderosas organizações criminosas. Visto por mais de 5 milhões de espectadores no seu lançamento.

O PASSADO (EL PASADO)
Brasil, Argentina, 2007, 35mm, cor, 114min, 18 anos.
Com Analia Couceyro, Gael Garcia Bernal, Claudio Tolcachir, Marta Lubos, Marcelo Chaparro.
A história de Rimini e Sofia, dois adolescentes que se casam, ficam juntos por 12 anos e resolvem se separar. A partir daí, Rimini tenta recomeçar sua vida, mas a presença constante de Sofia irá provocar pequenas tragédias. Baseado no romance homônimo de Alan Pauls.

PIXOTE, A LEI DO MAIS FRACO
Brasil, 1980, 35mm, cor, 125min, 18 anos.
Com Marília Pêra, Jardel Filho, Rubens de Falco, Elke Maravilha, Tony Tornado, Beatriz Segall.
Oprimidos pela violência do reformatório onde estão encarcerados, um grupo de meninos decide fugir para viver do roubo de carteiras – entre eles, Pixote. Nas ruas, recebem uma proposta para transportar drogas para o Rio de Janeiro, mas o negócio não dá certo e eles retornam à capital paulista. Conhecem uma prostituta e, em acordo com ela, passam a assaltar seus clientes. Baseado em romance de José Louzeiro, o filme recebeu diversos prêmios em festivais nacionais e internacionais, entre eles o Leopardo de Prata no Festival de Locarno de 1981.

O REI DA NOITE
Brasil, 1975, 35mm, cor, 98min, 16 anos.
Com Paulo José, Marília Pera, Vick Militello, Cristina Pereira.
Primeiro longa do diretor, o filme é inspirado na cultura do tango, muito presente nos meios boêmios de São Paulo nas primeiras décadas do século XX. Jovem começa a namorar uma moça de família ao mesmo tempo em que frequenta a vida noturna da cidade e mantém um ardente romance com uma cantora de cabaré. Prêmio de Melhor ator para Paulo José no Festival de Brasília de 1976. Montagem de Sylvio Renoldi.

Publicidade

Deixe o seu Comentário