FESTIVAIS NOTÍCIAS

La Ultima Tarde arrebata no 45º Festival de Gramado

la-ultima-tarde-lucho-caceres-festival-de-gramado-2017-2

Quinta-feira foi o sétimo dia de competição no 45º Festival de Cinema de Gramado e a tônica das obras da noite era o passado de seus protagonistas. Enquanto o peruano investiu no verbo para abordar uma arrebatadora história de amor, o brasileiro esbanjou humor para apresentar um curioso personagem também através da palavra.

la-ultima-tarde-lucho-caceres-festival-de-gramado-2017

Lucho Cáceres e Katerina D’Onofrio, em cena de La Ultima Tarde (2016), de Joel Calero

LA ULTIMA TARDE (2016) – Peru
Laura (Katerina D’Onofrio) e Ramon (Lucho Cáceres) foram casados quando jovens e estavam sem contato há 19 anos. Dispostos a selar o divórcio, a ex-dupla de guerrilheiros do Sendero Luminoso se reencontra e o que era para ser uma simples assinatura revela-se um complicado e inesperado acerto de contas.

la-ultima-tarde-lucho-caceres-festival-de-gramado-2017-3

Lucho Cáceres e Katerina D’Onofrio, em cena de La Ultima Tarde (2016), de Joel Calero

Duplamente premiado no Festival Latino Americano de Lima, entre eles o Prêmio do Público, La Ultima Tarde foi escrito e dirigido por Joel Calero. É uma curiosa e envolvente história de amor tendo como pano de fundo ideologias políticas. Com cerca de seis incríveis (e grandes) planos-sequência, Calero surpreende ao esmiuçar o passado dos personagens através de um longo e nada cansativo diálogo com dois ótimos atores em cena. Foi o primeiro filme a deixar nítidas as chances de sair do festival como um dos premiados.

BIO (2016) – Brasil
Bio conta a história de um homem que viveu mais de 100 anos, se relacionou afetivamente com diversas pessoas e fez descobertas científicas relevantes.

maria-fernanda-candido-bio-2017

Maria Fernanda Cândido em cena de Bio (2016), de Carlos Gerbase

Escrito e dirigido pelo conhecido cineasta gaúcho Carlos Gerbase, Bio é uma proposta inegavelmente interessante, mas o resultado final causa estranhamento. Estrelado por cerca de 40 atores, alguns bem famosos como Maitê Proença, Marco Ricca e Maria Fernanda Cândido, o longa é uma ficção científica que se formata a partir de um falso documentário, que revela aos poucos o misterioso personagem principal.

bio-carlos-gerbase-festival-de-gramado-2017

Imagem do cartaz de Bio (2016), de Carlos Gerbase

PREVIEW viajou a convite da organização do Festival de Gramado 2017.

Confira outras PUBLICAÇÕES – FESTIVAL DE GRAMADO 2017

Publicidade

Deixe o seu Comentário