ENTREVISTAS NOTÍCIAS PERSONALIDADES

Simpatia pura, Ansel Elgort lança Em Ritmo de Fuga em Sampa

Ansel Elgort foi perseguido pelos fãs que ganhou por A Culpa É das Estrelas e Divergente, mas o protagonista de Em Ritmo de Fugaque estreia nesta quinta, 27, não tem nada de estrelismo. É um fofo, como dizem. Ele chegou em Sampa no sábado, ao lado da namorada e do diretor Edgar Wright, a mente brilhante por trás deste que já é um dos melhores filmes do ano.

Visitou a Catedral da Sé e o Beco do Batman, que achou “cool”, confraternizou com os fãs, tirou mil selfies e surpreendeu a plateia ao aparecer em uma sessão de pré-estreia do filme. É o novo mister simpatia. Na coletiva de imprensa realizada nesta segunda, no Hotel Grand Hyatt, ator e diretor falaram sobre Baby Driver (título original), a história de um motorista de carro de fuga de ladrões que só acelera quando está com a música certa no fone de ouvido. Claro que a trilla sonora é o máximo. Kevin Spacey, Jon Hamm e Jamie Foxx também estão no elenco.

Confira os melhores momentos da entrevista. .

INÍCIO

Edgar Wright conta que a ideia para Baby Driver partiu da música que abre o filme: “Bellbottoms”, do The Jon Spencer Blues Explosion. “Imaginei como seria um longa construído com base na música e aos poucos a ideia foi tomando forma na minha  cabeça até sair do papel. Na primeira versão do roteiro, de 2011, todos os direitos das músicas da trilha já estavam comprados e o elenco pode ouvi-las enquanto gravava as cenas, para ter noção de como ficaria na edição”.

TRILHA SONORA

“A trilha sonora é uma peça importante no filme, considerando que Baby (personagem de Ansel Elgort) está escutando o tempo todo. Não é uma produção na qual as pessoas cantam, mas é aos moldes do que vemos nas obras de Scorsese, Tarantino e Soderbergh, em que a trilha sonora possui uma atmosfera de jukebox. A ideia é que o protagonista esteja tocando essas canções e é por isso que elas são escolhidas a dedo””, diz Wright.

CENAS DE PERSEGUIÇÃO

O diretor explica que 95% das cenas são reais. “Hoje nos filmes é muito comum o uso do CGI e da tela verde, mas nós queríamos todo um realismo nas imagens. Filmar sequências de perseguição é sempre muito trabalhoso, você precisa de um preparo especial para os atores, os locais de filmagem, as câmeras, é extremamente trabalhoso para cada cena tomada, mas eu sempre amei filmes de perseguição e agora estou dirigindo várias delas”.

“Apesar de todo o treinamento não me deixaram fazer algumas manobras para não acabar matando Jamie Foxx e John Hamm”, brinca Ansel sobre seus parceiros em cena.

FLEA E JAMMIE FOXX

Para chegar até o baixista do Red Hot Chili Peppers, Wright conta que um amigo produziu um dos clipes da banda e disse que ele precisava conhecer Flea um dia. “Então combinamos um jantar e eu cochichei para esse amigo ‘ preciso colocar esse cara no filme’. Tinha uma cena na estrada, que filmamos por um bom tempo e Jamie Foxx ligou seu iPod para ficar ouvindo um som com Flea no banco de trás do carro. Em certo momento, começou a tocar ‘Give It Away ’(clássico do RHCP) e Jamie começou a bater cabeça. Quando olho para trás, Flea estava fingindo estar tocando o baixo. Foi animal ”, relembra Wright.

 

Publicidade

Deixe o seu Comentário