NOTÍCIAS PERSONALIDADES

Soledad Villamil encanta no Festival de Gramado 2017

soledad-villamil-festival-de-gramado-2017-10

A última quinta-feira foi um dia especial para Soledad Villamil, do sucesso O Segredo dos Seus Olhos (2009). Além de receber o Kikito de Cristal, honraria concedida para os expoentes do cinema latino-americano, a atriz argentina também participou da confecção da cabeça do troféu que será entregue, em 2018, para outro homenageado. PREVIEW estava lá e, abaixo, VOCÊ confere um panorama destes dois momentos.

PÉS & MÃOS À OBRA
Feliz por estar no Brasil e, em especial no Festival de Gramado, Soledad mostrou-se um pouco tensa no início da visita na tradicional Cristais de Gramado. Afinal, em poucos minutos, iria encarnar o papel de artesã e manusearia – diante de fornos – artefatos incandescentes (impressionantes) para confeccionar duas peças de cristal. Para isso, tirou os sapatos, subiu uma pequena escada de madeira e, literalmente, botou mãos à obra, sempre assessorada pelos artesãos ali presentes. Na finalização, moldou a cabeça em uma forma de grafite, e posou com ela (foto) ainda incandescente e já com a folha de ouro 24 quilates. Segundo as regras locais, a conclusão da peça seria somente no dia seguinte, porque o processo de resfriamento é lento e fundamental para que a peça não se quebre.

O VALOR DA HISTÓRIA
No início da conversa com jornalistas, ao ser indagada sobre a escolha de papéis, Soledad explicou que lê o roteiro, primeiro, e como espectadora procura identificar se gostaria de ver aquele filme. “Tem que ser uma história que tenha que ser contada. E que eu possa acrescentar algo”, disse ela. Falou também que acontecia de não se ver em um personagem ou história. Assim, diretor, atores, produção, entre outros elementos, entram posteriormente na sua decisão. O que importa é o roteiro.

DARÍN E O CINEMA ARGENTINO
Questionada sobre uma possível super valorização de Ricardo Darín,  Soledad lembrou que nos anos 1990, em seu país, existia o cinema autoral e o de massa. E contou da resistência do público: “Não se via cinema argentino”. A partir de filmes como Nove Rainhas (2000), com Ricardo Darín ou o de Campanella (O Segredo dos Seus Olhos / 2009), o cinema sofreu uma transformação e ganhou muito público. Darín é uma referência “como ator e emblema de transformação do cinema argentino”, concluiu.

soledad-villamil-festival-de-gramado-2017MÚSICA PARA SEUS OUVIDOS
PREVIEW aproveitou o lado cantora da atriz para perguntar se ela curtia o gênero musical, que ganhou fôlego com o sucesso de La La Land (2016), e se gostaria de participar de um. Simpática, ela começou a entoar – afinadíssima – os versos iniciais de “City of Stars”, sucesso do filme americano. Rindo, ela revelou que Cantando na Chuva (1952) era um de seus filmes preferidos e que já havia visto umas 1.500 vezes. Fã do gênero, contou que adoraria ter o orçamento de La La Land (US$ 30 milhões) para produzir um musical. Ao ressaltar a tradição da Argentina com musicais, falou da importância de aparecer um diretor ou roteirista com uma ideia inovadora: “Creio que o tempo passa e os gêneros necessitam ser renovados”.

SOLENIDADE PARA SOLEDAD – KIKITO DE CRISTAL
Durante a noite de gala, a cantora e atriz encantou o público e cantou para ele. “Fiquei muito feliz quando recebi a notícia da homenagem. Mas o que está acontecendo supera qualquer expectativa”, disse ela, depois de reverenciar a plateia e ser aplaudida de pé. Já com o Kikito nas mãos, lembrou da infância, quando vinha ao Brasil com os pais para fugir da ditadura militar, e não deixou de falar da participação que fez no longa Teu Mundo Não Cabe Nos Meus Olhos, do brasileiro Paulo Nascimento, ainda em fase de finalização.

O diretor, aliás, mandou uma mensagem, no telão, ao lado do ator Leonardo Machado. Edson Celulari, que trabalha com ela no filme, foi outro que usou o recurso, e também fez o mesmo o conterrâneo e parceiro de trabalhos Ricardo Darín: “Te admiro não só pela boa companheira de trabalho que és, mas pela energia que colocas em tudo o que fazes. Mereces muito essa homenagem”, disse o astro argentino.

soledad-villamil-festival-de-gramado-2017-11QUEM CANTA ENCANTA
Já de saída para o seu lugar na plateia, a homenageada da noite ouviu o apresentador Roger Lerina anunciar que ela estava lançando o novo álbum “Ni Antes, Ni Después” nesta sexta-feira, 25. Mais do que isso, ele convocou-a para retornar e cantar  – a capela – uma canção. Mesmo espantada, subiu ao palco sem hesitar e soltou a voz de improviso, homenageando outra atriz e cantora: Tita Merello. “Sem querer comparar, é como se fosse a Carmen Miranda”, avisou ela antes da palinha. A canção escolhida foi “Se Dice de Mí”, cheia de versos irônicos e alinhada com a questão do empoderamento feminino. Confira o vídeo, publicado pelo jornalista Renato Martins e, querendo, acompanhe a letra mais abaixo. 😉

“Se dice que soy fiera / que camino a lo malevo / que soy chueca y que me muevo / com un aire compadron (…) / Si charlo com Luis, con Pedro o con Juan / hablando de mi los hombres estan. / Critican si ya La linea perdi / se fijan si voy, si vengo o si fui”.

PREVIEW viajou a convite da organização do Festival de Gramado 2017.

Confira outras PUBLICAÇÕES – FESTIVAL DE GRAMADO 2017

FOTOS: Diego Vara / Pressphoto

Publicidade

Deixe o seu Comentário